quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Atividades Econômicas


Mapa Esquemático de Uso e Ocupação do Solo na bacia do Rio Piracicaba
A economia da bacia do Rio Piracicaba desde sua ocupação inicial é voltada para a exploração dos recursos naturais.
A economia da bacia é baseada na mineração, na indústria siderúrgica, monocultura do eucalipto, setor agropecuário e em alguns municípios o turismo é incentivado.
A agricultura na região é praticada de forma tradicional, com algumas restrições ao uso de equipamentos mecânicos devido à topografia acidentada. Os principais produtos cultivados são: milho, feijão, arroz, cana-de-açúcar, banana, mandioca e tomate. Alguns produtos como o feijão e o milho apresentam o seu cultivo abaixo da média estadual. A pecuária se apresenta com a criação de gado de corte e leite, suinocultura entre outros. Os municípios em que se encontram o maior uso do solo na agropecuária são: Alvinópolis, São Domingos do Prata e Rio Piracicaba.
A silvicultura (monocultura de eucalipto) ocupa grandes extensões na bacia, é utilizado pelas empresas siderúrgicas e pela empresa de celulose, em alguns locais chegam às margens dos cursos de água, substituindo a mata ciliar. O próprio Rio Piracicaba em alguns trechos possui, no lugar da mata ciliar composta de vegetação natural, uma verdadeira floresta de eucalipto.O cultivo da monocultura de eucalipto representa uma parcela significativa na economia local, pois além de ser fonte de matéria-prima ainda é responsável por um movimento de ocupação fundiária.
A mineração é uma das principais atividades econômicas da bacia. Ocupa uma vasta área, produzindo minas a céu aberto de grandes proporções. Encontrar-se instalada na região a segunda maior mineradora do mundo, a Companhia Vale do Rio Doce. O minério de ferro retirado das terras da bacia do Rio Piracicaba é exportado para vários países.
O turismo na bacia do Rio Piracicaba não pode ser considerado a principal fonte econômica da região, mas em alguns municípios ele apresenta uma parcela significativa da economia local. Como no caso no Circuito da Estrada Real, no caminho que ligava Diamantina a Ouro Preto, e que hoje abrange alguns municípios da bacia como Barão de Cocais, Santa Bárbara, Catas Altas, Mariana que possui parte de seu território na bacia, Ouro Preto entre outros.
Sendo assim, conclui-se que as atividades econômicas da bacia estão intimamente ligadas com o uso e ocupação do solo na região, voltada para os recursos naturais da bacia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário